quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Fé que se vê

Como ver a fé? Como seria possível vê-la ou demonstrá-la?
Estranho e ao mesmo tempo curioso, mas um dia desses estava lendo o livro de atos quando fiquei surpreso com a declaração que o escritor faz antes da cura de um paralitico no capitulo quatorze versículo nove que diz: “Esse homem ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos e vendo que possuía fé para ser curado, disse-lhe em alta voz: Apruma-te direito sobre os pés! Ele saltou e andava.”

Naquele momento, pensei como o apóstolo viu a fé daquele paralítico? Ele não sentiu, pois fé não é sentimento, então me lembrei de um texto que relata também a cura de um paralítico, mas desta vez e Jesus que vê a fé. “Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Filho, os teus pecados estão perdoados.” Mc 2:5

Na língua portuguesa os sentimentos são definidos como sendo substantivo abstrato, o que quer dizer algo que existe, mas que não pode ser tocado. Porém creio que o sentimento pode ser presenciado através de gestos e palavras, por exemplo, quando amamos é certo que não medimos esforços para agradar esta pessoa, seja através de palavra ou num simples gesto como o de dar um buquê de rosas.

Assim também é a nossa fé, ela não pode ser tocada, mas deve ser testemunhada através dos nossos gestos e palavras, pois não adianta dizermos que temos fé se não colocamos ela em ação. (Tg 2:14-26)

Note que, se os quatro homens que conduziam o paralítico apenas acreditassem que Jesus podia curá-lo e não tivessem a ação de transportá-lo até Jesus como testemunhariam a cura do mesmo? E o pior, se tivessem desistido devido a multidão que os impedia de chegar até ao Senhor, aquele paralítico teria ficado no quase. Mas eles não colocaram os olhos nos obstáculos e nem tiveram uma fé passiva ao contrário, colocaram a fé em ação e com os olhos no autor e consumador da fé romperam com as barreiras. (Mc 2:1-12)

Só iremos alcançar o que Deus determinou para as nossas vidas quando colocarmos a nossa fé em ação, sem deixar que a dúvida devido ao tempo e circunstâncias entre em nossos corações, pois a dúvida é o principal obstáculo que devemos enfrentar.
(MT 8:13; MT 21:21; Tg 1:22-25; Rm 14:23).

E necessário crermos que diante das dificuldades que surgem nas nossas vidas, em Deus podemos fazer proezas e que a nossa fé quando provada age mostrando o seu real valor.
(I Pe 1:7-9; Sl 60:12; Ef 3:20)

Um comentário:

Faculdade Teológica disse...

Que Deus continue abençoando seu trabalho e nos edificando com seus post parabens pela iniciativa Fica Na Paz!!!!
Abs!

Faculdade de Teologia das Assembléias de Deus de São Paulo